segunda-feira, 30 de março de 2009


Agora estou assim ao ser privada da minha fidelidade
Choro em voz alta minhas últimas palavras d'uma esperança perdida.
O meu humor é uma violenta rajada de vento;
Forte como uma mistura que atravessa os poros.
Estou sem vontade de perdoar aquele que me privou da vida...
Crepuscula a seqüência -
Uma visão momentânea.
Perecem os intervalos de alegria -
Minha felicidade suprema está perdida!

Terríveis emoções de medo - meu corpo é a terra -
Que agora é destinada a ser abandonada -
Abandonada das energias que a avivam.
E não viverei nem mais um instante?

Em pesaroso silêncio sofro -
Em paz agora descansarei.
Minhas mãos trabalhadoras
Agora descansam.

Eu te tranco, eu amado, em meu coração -
Esconda tua memória em meu santuário íntimo.
Em meus pensamentos tu estarás para sempre -
Como uma querida e preciosa lembrança.

Fui destronado no reino da realidade -
Minhas lágrimas caem como se fossem de ébano
Morrendo - apenas sinto apatia!

quarta-feira, 25 de março de 2009


Escrevo-te em segredo, este poema triste...
São versos doentios que nunca viste!
Amargo soneto mergulhado na dor!
Versos doridos que a morte levou...

Bem sofre em desatino, ó, coração suicida!
Ó anjo caído!...Por acaso, isso é vida?!
A desgraça já me fere o peito enlouquecido!
Do que fui, só resta o espectro esvaecido!

Uma lágrima doentia - do poema -, já sangra!
Vês?!...É o derradeiro óbolo que deposito,
Junto às flores que muito encobrem tua campa!

Pague a Caronte, o barqueiro infernal!
Que conduza tua alma pelo Estige enegrecido!
Ao silêncio da morada sepulcral...

sexta-feira, 20 de março de 2009



Se a voz do meu silêncio se apagasse
Nas tempestades da devastação,
Talvez o meu deserto não sangrasse
Por dentro das brumas da solidão.

Se o tempo voltasse à voz da razão,
Talvez a minha luz regenerasse
As trevas que plantei no coração,
Como se de um sepulcro se tratasse.

Se o destino dos momentos confusos
Me abrisse a voz dos silêncios difusos
Que pairam nas sombras do meu sonhar,

Talvez eu me apagasse no deserto
E as cinzas do meu espírito desperto
Pudessem, finalmente, regressar.

terça-feira, 10 de março de 2009


Desculpa se não vivo à tua imagem,
Se não sigo o teu rumo de vaidade,
Se nem sempre cedo à tua vontade
E cumpro o que ordena a tua voragem.

Desculpa se o meu mundo é de miragem
E se acredito na fidelidade.
Desculpa se me guio pela verdade,
Ainda que despida de coragem.

Desculpa se não creio na loucura
Do teu mundo de dominância obscura
E de momentos inúteis e vãos.

Não sou igual a ti, alma indiferente.
Não quero o teu controle permanente…
Desculpa se não estou nas tuas mãos!

alma e inverno


Soturna como a sombra da loucura,
Sinistra como o espectro da traição,
Minha alma é tempestade de amargura,
Inverno de infinita escuridão.

Sou eco da eterna condenação,
Relâmpago que rasga a noite escura,
Fantasma de eterna desolação,
Gélido deserto de vida obscura.

Ausente como a sombra do passado,
Sou murmúrio de uma alma sem pecado,
Condenada a morrer sem ter abrigo.

Mas, mundo cruel que me condenaste,
Prometo que, pelo mal que me causaste,
Te hei-de levar aos Infernos comigo!

sombra do passado



Por todos os pecados sem sentido
E por todos os sonhos derrotados,
Esqueço todos os encantos quebrados
E esqueço a voz do meu sonhar vencido.

Em nome de um destino destruído,
Deixo os meus sentimentos apagados
No abismo dos anjos abandonados
E dos que morreram sem ter vivido.

Em nome do sonho e da liberdade,
Rejeito a promessa da eternidade
E a glória de uma vida plena e pura.

Que me condene a sombra do passado
Que me prendeu nas trevas do pecado!
Seja a minha pena a minha loucura…

Parei, na sombra de uma noite escura,
Qual fantasma de absurda indignidade
Perante a voz da sinistra loucura
Que parece dominar a vontade.

Sussurravam-me as vozes da verdade
Profecias de mágoa e de amargura,
Mas eu cria que a minha liberdade
Poderia restaurar a ternura.

E eu via, no altar do meu sentimento,
A sombra de um sublime pensamento
Destinado a viver dentro de mim.

E parei, às portas do sonho vão,
Esperando a sombra do meu coração,
Sem ver que esperava apenas o fim

deixa me desistir de ti


Deixa-me desistir de ti
Como num encontro repetido entre penas de mil eras
E traçado em véus de fumos mutilados,
Para esquecer que te dei a alma de todos os meus sonhos
E a força de toda a vontade
Na concretização de uma visão que mão me pertencia.

Será o silêncio a minha promessa,
O vazio como futuro
De quem deixou as asas rasgadas no chão,
E apenas a noite alcançará a minha voz amordaçada
Nos primórdios do poema.

Não sou ninguém…
Nada mais que o pálido reflexo de um espelho estilhaçado,
Um grito no amanhecer
E as lanças dos meus dedos estendem o sangue da derrota
Que estrangula o meu olhar.

Deixa-me, pois, morder as cinzas que ensombram os meus lábios
E morrer dentro da cruz,
Como um corvo em voo de hecatombe
Rasgando os céus da última alvorada,
Um sonho aberto à lâmina dos deserdados,
Um cântico na morte…

Para que vejas a renúncia que floresce nos meus olhos
E me deixes desistir
De mim...
Floresce por dentro da imensidade
Como um sorriso plantado nos olhos do infinito
E revolvido em lágrimas de sangue.

Dorme na minha pele a voz de um grito,
O cântico do abismo adormecido na voz
Da rosa que desfalece por dentro do meu peito.

Fenece no silêncio de um soturno torpor,
Fúnebre pedra tumular de espelhos
Repousando sobre a putrefacção dos séculos…

sexta-feira, 6 de março de 2009

segunda-feira, 2 de março de 2009

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009


Esta é a dança mais lenta...a dança de mil anos...
...a dança das estátuas congeladas...unidas nas lágrimas.
Esta é a luta mais sombria...a luta de mil anos...
O espancamento de sangue através de nossas veias...
...em nossas veias...em nossos olhos...os círculos de medo.
Eu me agarro em você...tão frio, tão brilhante...
Segure-me durante a noite.
Rostos sem expressão...parque do desperdiçado....
Na escuridão pálida eu me apego em você....
Na escuridão pálida eu estou seguro e tranqüilo....
Eu nado em você....em seus rios sombrios..
Mergulho em sua mente...procuro por seus monstros...
Procuro por resistência....
...afundo na lama....
...danço nos salões da insanidade...
Contudo a loucura é seu feito mais elevado...sua vaidade.
.........Amante - você me fez...........
.........Amante - você me salvou........
Em suas mãos frias eu sou somente uma ferramenta...
Em suas mãos frias eu estou seguro e tranqüilo...

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009



Palavras vem colidindo dentro do meu peequeno mundo.....
....me perfurando po dentr....vc nao pode entender....
tudo o q eu sempre quis, tudo que eu sempre precisei....
...ja esteve em meus braços..
Olhando para o céu procuro uma resposta...
Eu não sou outra mentirosa
...eu só quero ser eu mesma... eu mesma
E agora a batida dentro de mim é um tipo de brisa gelada....
...e eu nunca tive qualquer sentimento a minha volta...
Eu trago meu corpo
E o carrego em um outro mundo
Eu sei que eu vivo... mas como uma pedra estou caindo
Amaldiçoada....olhando para o céu
...posso sentir essa chuva....
Agora mesmo ela cai sobre mim
Voar....eu só quero voar
Todo dia eu choro sozinha
...mas eu sei que eu não sou a única...
Vejo que outro dia já se foi
Eu quero morrer...
Por favor esteja aqui quando eu chegar....

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009


Imagens, Mensagens, Frases e Vídeos - Góticas - Orkut

MeusRecados.com - Recados e Imagens de Góticas para Orkut

Fantasmas do passado me atormentam essa noite.....
...por mais que eu tente dexa-los pra taz, eles insistem em me perseguir;
...eles insistem em perturbar meu sono e nao me deixar dormir....
Anoite fria e a solidao me queimam...
queimam como lava descendo sob a pele;
queima pq levo uma vida de mentiras.....
E quanto mais eu fujo dos meus fantasmas mais eles me atormentam.....
....mais eles me perseguem.....emm todo lugar, a cada minuto, a cada respiraçao....
...eu sei que ele esta lá.....
E tambem sei q sou um fantasma tambem; sei que meu tormento é asombrado pelo meu fantasma todos os dias tambem......
e como eu tb vive uma vida de mentiras ...
Coisas insanas que apenas nosas mentes sabem.....
.....apenas em nossas mentes........
..........TOGETHER FOREVER........
video

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009


"O dia mente a cor da noite
E o diamante a cor dos olhos
Os olhos mentem dia e noite a dor da gente"
Tua palavra, tua história...
tua verdade fazendo escola
...e tua ausência fazendo silêncio em todo lugar
metade de mim agora é assim....
de um lado a poesia o verbo a saudade
do outro a luta, a força e a coragem pra chegar no fim
e o fim é belo incerto... depende de como você vê
Só enquanto eu respirar...vou me lembrar de você

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

As vezes coisas que parecem simples podem ser muito mais complexas do que se imagina......
As vezes, um lindo sorriso doçe pode ser um desesperado pedido de socorro.....
As vezes nos escondemos por traz de mascaras simplesmente para parecer invisivel aos olhos de quem nao compreende...
As vezes o que parece sonho é so uma maneira de tentar escapar da crueldade de olhos que nao enxergam....
As vezes o que parece apenas um quarto escuro é na verdade um refugio, um santuario de sanidade....o único lugar onde se pode ter ter paz....